Música

Luca Argel

21 de Maio | 21h00 > Praça do Tribunal

É formado em música pela UNIRIO e mestre em Literatura pela Universidade do Porto. É vocalista e compositor dos grupos “Samba Sem Fronteiras”, “Orquestra Bamba Social” e “Ruído Vário” — este último em parceria com a cantora Ana Deus. Tem livros de poesia publicados no Brasil, em Espanha e em Portugal, um dos quais foi semi nalista do Prémio Oceanos 2017. Assina a rubrica semanal “Samba de Guerrilha”, na Rádio Universitária do Minho. Em 2016 lançou seu primeiro disco a solo, “tipos que tendem para o silêncio”, e em seguida “Bandeira”, considerado pelo site Embrulhador como um dos melhores lançamentos da música brasileira, em 2017. O seu último trabalho a solo, “Conversa de Fila”, saiu em Março de 2019 e aprofunda ainda mais a linha de trabalho focada na linguagem do samba.

Luca Argel (voz, guitarra)
Duração: 60 min (aprox.)

Mike El Nite

24 de Maio | 01h00 > Mercado Municipal

Programação inserida nas festas de encerramento

Mike El Nite é Miguel Caixeiro, cujo nome artístico faz referência ao memorável Michael Knight da série “O Justiceiro” (interpretado por David Hasselhoff). Só por aqui já insinuava que a sua caminhada no hip-hop seria, se não sinuosa, pelo menos peculiar.
Nascido e criado em Lisboa, o rapper combina as aptidões ganhas ao longo da sua imprevisível carreira para transmitir mensagens algures entre a euforia e o desespero, com grande tendência para a ironia aplicada a assuntos sérios acompanhada de batidas, baixos, synths e samples. Lançou o seu último álbum “Inter-missão” no final de 2018.

A sua cruzada continua ou não fosse ele Mike El Nite, o justiceiro.

Doutorado Pro

24 de Maio | 04h00 > Mercado Municipal

Programação inserida nas festas de encerramento

“African Scream“ é o nome da música que tem ressoado entre a crítica internacional e o público interessado pelo som que emana dos guetos de Lisboa. Tem hoje mais de 2 milhões de visualizações na plataforma YouTube, e foi esse hit da Batida de Lisboa, que levou a um convite da Enchufada – editora de Buraka Som Sistema, Dengue Dengue, Rastronaut, entre outros – para se juntar aos seus quadros.
Nascido em Luanda e a viver em Setúbal, Dotorado Proé um “miúdo” à procura da sua identidade sonora na base dos Afro Beats.
É convidado regular nas festas “Na Surra” organizadas por Branko. Lançou no passado dia 26 de Abril, com chancela da Enchufada, o seu EP “Macumba”.

Progressivu

24 de Maio | 02h00 > Mercado Municipal

Programação inserida nas festas de encerramento

Mário Costa apresentou-se ao público como Progressivu, em 2016, nas Hard Ass Sessions, as festas da Enchufada no Lux Frágil. Presença assídua nestas festas, começou por destacar-se no dancefloor até dar o salto para a cabine de DJ. Em 2017 deu início, juntamente com PEDRO, a uma das mais mais ferverosas festas da capital, as ” Na Surra”, que apesar de recentes são já icónicas para toda uma vasta e multicultural comunidade que frequenta os clubes nocturnos de Lisboa.
Quem já assistiu a um dos seus set’s, saberá o quão fácil vai ser incendiar a pista de dança e pôr toda a gente a ferver de movimentos

Além das apresentações ao vivo, Progressivu aproveitou o ano de 2018 para nos mostrar também os seus dotes enquanto produtor, assinando remisturas para “23:23”, de Richie Campbell, ou “PAMPAMPAM”, de Viní e Neguim.

BirdzZie & Cigarra

24 DE MAIO | 22H30  > MERCADO MUNICIPAL

Programação inserida nas festas de encerramento

CIGARRA

Ágatha Barbosa (a.k.a. Cigarra) é DJ, produtora e label manager da Tropical Twista Records e da Hystereofônica, cresceu na densa cena underground de São Paulo e participou da efervescência de suas festas e festivais assim como na formação original da conceituada Voodoohop. Há uma década explora sets únicos, e a partir desta experiência cria seus próprios casulos sonoros. Em 2016 lançou o EP “Límbica” e em 2018 “Ato” pela Tropical Twista Records, onde também é realizadora da expoente compilação feminina Hystereofônica, que conta com dois volumes e mais de 60 mulheres envolvidas. Ritmos brasileiros e de diversas partes longínquas do mundo agregam-se em um set contagioso de hipnóticas e sedutoras frequências que vão do global bass ao downtempo. O seu discurso e engajamento fazem dela uma importante referência para a atual cena eletrónica underground latino-americana.

BIRDZZIE

Dj, produtor, remixer e manipulador de samples, BirdzZie é um português de alma global ritmado pelos beats orgânicos e digitais dos mais variados recantos do mundo. É membro da cena underground de São Paulo e toca pelo Brasil e Europa para onde volta agora mergulhando nas suas raízes portuguesas e, aqui, acaba de lançar seu segundo EP pela Tropical Twista Records “Ninho” por onde também lançou seu primeiro trabalho, “Futuro Ancestral”, que com muita nostalgia e pesquisa forja os primeiros registros de um mergulho na ancestralidade portuguesa.

Sopa de Pedra

25 DE MAIO | 21H00 > PRAÇA DO TRIBUNAL

As Sopa de Pedra são um grupo de 10 mulheres que criam e interpretam à capella arranjos orginiais da música popular portuguesa. Na música tradicional atraiu-as o propósito intrínseco de juntar as gentes e falar sobre a vida de um povo e por meio de harmonizações e arranjos polifónicos exploram a sua riqueza remetendo-a para o contexto da música do mundo actual. O reportório inclui sobretudo música de transmissão oral das várias regiões portuguesas, estendendo-se dos cânticos mirandeses de Trás-os- Montes às baladas açorianas, das cantigas de adufeiras da Beira Baixa ao Cante alentejano, passando também pelo reportório de cantautores como Zeca Afonso, Amélia Muge, João Lóio ou grupos como Almanaque e GAC. Há também nele lugar para músicas tradicionais de outros países ou temas originais. Tal como no conto popular da Sopa de Pedra, a criação musical começa numa base simples – uma pedra, uma tradição, uma melodia, um cantar – à qual se misturam novas vozes, compondo uma harmonia viva que de cada vez que se canta, ou a ela alguém se junta, se reinventa.

Vozes: Benedita Vasquez, Inês Campos, Inês Loubet, Maria Vasquez, Mariana Gil Cunha, Rita Costa, Rita Sá, Sara Yasmine, Teresa Campos, Inês Rosa Melo

Duração: 60 min (aprox)

Dj Nigga Fox

25 DE MAIO | 01H00  > MERCADO MUNICIPAL

Programação inserida nas festas de encerramento

Dj Nigga Fox é um dos produtores mais talentosos de música electrónica dos nossos dias, profeta descontrucionista do 4/4 normativo das pistas de dança ocidentais. Depois de uma série inspiradora de discos na Príncipe desde o revolucionário debute “O Meu Estilo” em 2013, data do ano passado o seu mais recente lançamento, o EP “Crânio” na Warp Records, novo avanço na sua literatura psicadélica de ritmos & sons.

Nídia

25 DE MAIO | 03H00 > MERCADO MUNICIPAL

Programação inserida nas festas de encerramento

Nídia é uma das vozes de uma geração que tem vindo a transformar o panorama da música electrónica contemporânea internacional a partir de uma base comunitária. Depois da estreia com “Danger” em 2015, enquanto ainda assinava como Nídia Minaj, editou na Príncipe em 2017 o seu primeiro longa duração “Nídia é Má, Nídia é Fudida”. Ao longo do seu caminho tem tocado um pouco por todo o mundo, co-produziu um tema pro novo disco de Fever Ray, assinou remixes pra outros pares e terminou o liceu em Bordéus onde esteve sediada.

Dj Narciso

25 DE MAIO > 23H00  > MERCADO MUNICIPAL

Programação inserida nas festas de encerramento

Dj Narciso é, a par de Nuno Beats, o produtor principal do grupo RS Produções, que lançou o EP de debute “Bagdad Style” na Príncipe no nal de 2018. Narciso é também reverenciado como o DJ mais irrepreensível da RS, toda e qualquer vez focado e inspirado em tocar os temas originais do colectivo – em contínuo uxo criativo de novas produções – eles que cresceram pós DJs Di Guetto e para os já regulares gigs na noite mensal da Príncipe no Musicbox, em Lisboa.