Ⓒ Humberto Araújo

09.07

21h30

PAVILHÃO DA ESCOLA SECUNDÁRIA
vera manterO

Os Serrenhos do Caldeirão,
exercícios em antropologia ficcional

DANÇA

Ⓒ Humberto Araújo

“Os Serrenhos do Caldeirão, exercícios em antropologia ficcional”, foi elaborado no âmbito do Festival Encontros do Devir, em Faro, em torno da desertificação / desumanização da Serra do Caldeirão. Neste trabalho, a coreógrafa efetuou uma viagem antropológica  lançando um forte olhar sobre práticas de vida tradicionais e rurais em geral e conhecimentos das culturas orais de Norte a Sul do país, e de outros continentes. Cruzando as suas próprias recolhas de vídeo com as recolhas em filme de Michel Giacometti, o resultado desta viagem é um solo sobre a música, a palavra e a terra. Uma peça povoada de vozes que vêm de longe. Um diagnóstico político e cultural de uma serra outrora habitada. Neste “retrato alargado”, Vera Mantero fala-nos de povos que possuem uma sabedoria que perdemos, uma sabedoria na ligação entre corpo e espírito, entre quotidiano e arte. Mas uma sabedoria que podemos e devemos, para nosso bem, reativar.




Biografia:

Vera Mantero estudou dança clássica com Anna Mascolo e integrou o Ballet Gulbenkian entre 1984 e 1989. Tornou-se um dos nomes centrais da Nova Dança Portuguesa, tendo iniciado a sua carreira coreográfica em 1987 e mostrado o seu trabalho por toda a Europa, Argentina, Uruguai, Brasil, Canadá, Coreia do Sul, EUA e Singapura.

Desde 2000 dedica-se também ao trabalho de voz, cantando repertórios de vários autores e co-criando projectos de música experimental.

Representou Portugal na Bienal de São Paulo 2004, num projeto criado em parceria com o escultor Rui Chafes. Em 2002 foi-lhe atribuído o Prémio Almada e, em 2009, o Prémio Gulbenkian Arte pela sua carreira como criadora e intérprete.




Ficha técnica:

CONCEPÇÃO E INTERPRETAÇÃO | Vera Mantero
DESENHO DE LUZ | Hugo Coelho
CAPTURA DE IMAGENS E ELABORAÇÃO DE GUIÃO PARA O VÍDEO | Vera Mantero
MONTAGEM VÍDEO | Hugo Coelho
EXCERTOS VÍDEO DA FILMOGRAFIA COMPLETA DE MICHEL GIACOMETTI | Salir (Serra do Caldeirão), Cava da Manta (Coimbra), Dornelas (Coimbra), Teixoso (Covilhã), Manhouce (Viseu), Córdova de S. Pedro Paus (Viseu) e Portimão (Algarve)
EXCERTOS DE TEXTOS | Antonin Artaud, Eduardo Viveiros de Castro, Jacques Prévert e Vera Mantero
RESIDÊNCIAS ARTÍSTICAS | Centro de Experimentação Artística – Lugar Comum/Fábrica da Pólvora de Barcarena/Câmara Municipal de Oeiras e DeVIR/CaPA/Faro
CO-PRODUÇÃO | DeVIR/CaPA
PRODUÇÃO | O Rumo do Fumo
AGRADECIMENTO | Editora Tradisom

Este projecto foi uma encomenda dos Encontros do DeVIR da DeVIR/CAPa.
O Rumo do Fumo é uma estrutura financiada pelo República Portuguesa – Cultura | DGArtes – Direcção Geral das Artes.